Serviços

Prefeitura de João Pessoa inicia ação de combate ao Aedes aegypti utilizando drones

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de João Pessoa iniciou, nesta segunda-feira (27), uma ação de combate ao Aedes aegypti utilizando drones. A iniciativa é uma parceria com a Secretaria de Estado da Saúde (SES) e Polícia Militar com o objetivo de identificar, mapear e auxiliar os profissionais de saúde na eliminação de possíveis focos do mosquito, transmissor de arboviroses, na Capital. A primeira fase da ação segue até esta terça-feira (28) no bairro de Mangabeira.

De acordo com Pollyana Dantas, gerente de Vigilância Ambiental e Zoonoses da SMS, dois drones da Polícia Militar irão sobrevoar áreas do bairro identificando focos do mosquito em locais de difícil acesso para, a partir daí, os agentes de endemias realizarem o trabalho de eliminação dos criadouros e sensibilização dos proprietários dos imóveis ou terrenos.

“É uma ação pioneira na Paraíba no sentido de monitorar as áreas que têm possíveis focos, mas que não é possível serem identificados de forma imediata por meio das visitas dos agentes de endemias. Ou seja, possíveis criadouros na parte de calhas, telhados, caixas d’água e outros locais como imóveis fechados com piscinas, que têm uma visualização mais facilitada por vias aéreas”, afirmou.

Para o chefe do Núcleo de Fatores Biológicos e Entomologia da SES, Nilton Guedes, a parceria dos três órgãos vai possibilitar mais efetividade no controle do mosquito. “O trabalho de combate ao Aedes aegypti é realizado de forma permanente por meio do trabalho dos agentes e a colaboração da população, mas com a utilização dessa tecnologia possibilitada pela Polícia Militar, teremos uma visão aérea de locais de difícil acesso de forma terrestre, direcionando melhor o trabalho para esses locais de forma específica”, disse.

A gerente de Vigilância Ambiental e Zoonoses da SMS explicou que a ação deverá continuar em outros bairros da Capital. “Vamos fazer o monitoramento, principalmente, em regiões com muitos estabelecimentos comerciais, borracharias e locais com materiais recicláveis, a exemplo do Distrito Mecânico, Porto do Capim, Baixo Roger, Mercado Central e outras áreas do Centro da cidade”, pontuou Pollyana Dantas.

Dados – A Secretaria Municipal de Saúde registrou 7.146 casos notificados de arboviroses desde janeiro deste ano. Desse total, são 6.703 casos notificados de dengue, 395 de chikungunya e 48 de zika.

Denúncias – Para que a população possa denunciar possíveis focos do agente transmissor de doenças como dengue, zika e chikungunya, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS) disponibiliza dois canais de atendimento.

A denúncia pode ser realizada pelo WhatsApp ‘Xô, Aedes’ – (83) 98825-0549. Este número recebe apenas mensagens. Além de denunciar possíveis focos, também é possível tirar dúvidas sobre prevenção, sintomas e locais de atendimento. O horário de atendimento é de segunda a sexta-feira, das 8h às 16h30, e, aos sábados, das 8h às 11h30.

Para quem preferir ligar, pode entrar em contato com Disk Dengue, que atende no número 3213-7781 e funciona de segunda a sexta-feira, das 8h às 12h e das 13h às 16h30.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *