Serviços

Parque Arruda Câmara inicia programação especial do mês de férias escolares

Diante dos inúmeros estímulos provocados pelas ‘telas’, tornou-se um desafio constante para pais e educadores atrair e reter a atenção da criançada. Pensando nisso, o Parque Zoobotânico Arruda Câmara (Bica), da Prefeitura de João Pessoa, preparou uma programação especial de férias escolares para todo o mês de julho, que iniciou nesta terça-feira (2) e segue até o dia 31 de julho, com foco na educação ambiental, conexão com a natureza e na diversão dos pequeninos. O Parque funciona da terça-feira ao domingo, das 8h às 17h (entrada até 16h).

“Essa programação já é corriqueira no Parque Arruda Câmara, sempre no início do ano em janeiro e no meio do ano, nas férias escolares de julho, sob a coordenação dos setores de Educação Ambiental e Zoológico. A programação é voltada para a conscientização do público sobre o meio ambiente e todas as atividades têm um cunho educativo e ambiental. As atividades durante a semana se alternam e na próxima semana se repetem”, afirma Renato Braga, diretor executivo do Parque Arruda Câmara.

O primeiro dia da programação contou com Jogos Ecológicos e Pintura com temática de animais e com a Produção de Bandejas de Alimentação. Segundo ele, o objetivo é que as crianças tenham informações sobre a alimentação dos bichos, como é o seu preparo e como é dada ao animal, além do momento de participarem do corte dos alimentos.

“Nesse momento, as crianças têm a experiência de preparar junto com o pessoal do zoológico as comidas dos animais. Uma comida balanceada e rica em nutrientes. Elas vão entender que não é qualquer comida que o animal come, tem que ser tudo bem regrado. A bióloga dá uma aula para as crianças. Por ser aberto, tem criança que quer jogar uma pipoca, um biscoito e por mais que o parque seja todo sinalizado acontece e é nessa hora que eles se educam”, frisou Renato Braga.

Após ajudar a cortar os alimentos, as crianças seguem a bióloga para observar o momento da alimentação desses animais em seus respectivos locais de vivência. Os alimentos cortados foram para alimentar o macaco bugio, macaco galego e macaco prego, com dieta a base de ração, amendoim, jerimum, beterraba, mamão, banana e ovo cozido.

“Nós conversamos com as crianças sobre a dieta, informando que é toda calculada para cada animal, que a zootecnista é responsável por calcular para cada animal de acordo com sua espécie e seu peso e que não se pode alimentar os animais na Bica. Eles cortaram os alimentos para entender como funciona essa divisão, que busca parecer o mais próximo de como eles se alimentariam na natureza”, explica Marília Maia, bióloga da Bica. “A nossa expectativa é que eles entendam a importância dessa alimentação e os cuidados que devem ter ao frequentar o parque”, complementa.

Helena de Castro, de 6 anos, veia ao Parque Arruda Câmara na companhia da tia. Ela conta que adorou brincar com os jogos e cortar os alimentos. “Eu gosto muito de vir à Bica. Hoje, fomos ver a cobra. Gostei muito, porque ela é venenosa, anda e tá numa sala escura. Tenho medo, mas ela tá presa. Eu também gostei dos macacos”, revelou.

Helena também veio acompanhada de sua amiga, Maria Eduarda, de 7 anos. “Gostei de participar do corte dos alimentos e aprender que não devemos alimentar os animais da Bica. Sempre via as pessoas dando pipoca ou salgado, agora sei que não pode porque pode fazer mal para os bichinhos”, alertou.   

Durante a explicação para as crianças, a bióloga Marília Maia explica, também, que a Bica abriga animais que foram resgatados ou que já nasceram em cativeiro. “A gente reforçou a ideia de que esses animais do parque não podem voltar para a natureza, porque alguns foram atropelados, falta alguma parte física, ou vieram muito bebês”, disse.

Na etapa seguinte, as crianças e os pais seguiram apressados a bióloga para ver como ela alimenta os animais. Primeiro, os macacos da ilha. Ela entra no recinto, atravessa o lago e coloca o alimento nos recipientes ou presos aos galhos. As crianças ficam entusiasmadas e querem chegar o mais perto possível.

Em seguida, é a vez dos macacos pregos. Nesse momento, a bióloga pede silêncio para que os animais não fiquem agitados e diz: “Quanto mais silêncio vocês fizerem, mais fácil de observar os animais porque eles ficarão tranquilos”.

Mariana Ramos, de 9 anos, adorou o passeio e diz que espera voltar à Bica ainda nessas férias. “Gostei de tudo, dos jogos, de cortar os alimentos e ver os bichinhos comendo”.

Programação – De 2 a 31 de julho, o Parque Arruda Câmara promove uma série de atividades educativas e lúdicas, que acontecem de terça a domingo, manhã (a partir das 8h30) e à tarde (a partir das 14h). As crianças podem se divertir nas oficinas de reciclagem, exposições, jogos, trilhas educativas entre outras atividades.

As atividades são gratuitas aos visitantes do parque, mas as vagas são limitadas e destinadas por ordem de chegada. Não há necessidade de agendamento, apenas o pagamento da taxa ambiental de entrada, de R$ 3,00. São isentos do pagamento da taxa crianças de até 7 anos de idade, PCD e idosos acima de 60 anos.

Confira a programação completa para o mês de julho:

Terça-feira

8h30 – Piquenique dos animais;

14h – História do Parque e da Fonte e Trilha da Água.

Quarta-feira

8h30 – Passarinhando na Bica e Experiência no Recinto das Aves ou Falcoaria;

14h – Trilha da Biodiversidade e Jogo de Tabuleiro Gigante.

Quinta-feira

8h30 – Oficina dos 3Rs (Reduzir, Reutilizar e Reciclar) e produção de Estampa de Ecobag com Tinta Natural;

14h – Produção de Enriquecimento Ambiental.

Sexta-feira

8h30 – Trilha da Biodiversidade e observação do Banho de Sol dos Répteis;

14h – Exposição de Animais Taxidermizados e Vida de Inseto.

Sábado e Domingo

8h30 e 9h – ONGs e parceiros (atividade extra)

14h – ONGs e parceiros (atividade extra)